Em Juazeiro, ministros João Roma e Tarcísio de Freitas anunciam obras viárias e apresentam Auxílio Brasil

O lema do governo do presidente Jair Bolsonaro – “Mais Brasil, menos Brasília” – foi novamente demonstrado na prática, desta vez em Juazeiro (BA), nesta segunda-feira (28). Os ministros da Cidadania, João Roma, e da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, participaram de evento que marcou a retomada de obras viárias para melhorar o tráfego e o fluxo da produção de alimentos na orla do Rio São Francisco. As obras vão beneficiar toda a região de Juazeiro e de Petrolina, nos estados da Bahia e de Pernambuco.


Os ministros destacaram também a abrangência e a importância do Auxílio Brasil, novo programa social do Governo Federal. Em Juazeiro, são beneficiadas 32.140 famílias em situação de vulnerabilidade, numa injeção de mais de R$ 13 milhões mensais na economia local. “Isso significa aquecimento do comércio porque as famílias, assim que recebem, correm para comprar comida para seus filhos. Assim, aquecemos a economia e ajudamos a gerar emprego para todos”, afirmou João Roma.


No país como um todo, o Auxílio Brasil chega a mais de 18 milhões de famílias, com um investimento de R$ 7,3 bilhões em março. Cada beneficiário recebe um repasse mínimo de R$ 400. Para demonstrar a relevância do trabalho do Governo Federal, fazendo as políticas sociais chegarem na ponta, o ministro da Cidadania homenageou uma família atendida pelo Auxílio Brasil. Adriana Tavares, 42 anos, recebeu das mãos de João Roma um cartão simbólico do programa.


“Para mim, a prioridade é a escola dos meninos. Eles tendo o deles garantido, estou sossegada. Quando a gente é pai e mãe, não pensa mais na gente, pensa nos filhos, no bem-estar. O Auxílio Brasil tem ajudado muito na questão do material escolar, no lanche da escola e de casa, no fardamento. Tudo é prioridade para eles”, contou Adriana.


“Eu me sinto muito acolhida. Esse Auxílio foi um presente de Deus, mesmo, porque tem ajudado não só a minha família, mas muitas famílias no Brasil, né? Muitas famílias ficaram desempregadas e ainda estão passando por dificuldades, né? E foi assim, uma bênção, para ajudar minha família e muitos dos que estão precisando”, completou a moradora de Juazeiro.


João Roma reforçou que o Auxílio Brasil se consolida como um moderno programa de transferência de renda. Ele ressaltou que, no passado recente, muitos diziam que as pessoas não queriam trabalhar para ficarem penduradas em programas sociais. “Acabamos com isso. Hoje, quem está no Auxílio e consegue emprego com carteira assinada não perde o benefício. E ainda recebe incentivo extra para investir no crescimento profissional”, explicou o ministro, acompanhado no evento pela prefeita de Juazeiro, Suzana Ramos, parlamentares federais e autoridades locais e de municípios vizinhos.

Ajuda durante a pandemia
A dona de casa Adriana Tavares passou por um período de dificuldades durante a pandemia do novo coronavírus. Ela e os filhos Ana Laura (quatro anos) e Fábio Gabriel (sete), além do marido, Fábio, testaram positivo para o vírus em 2021. O marido e os filhos ficaram assintomáticos, mas Adriana precisou de 35 dias para se recuperar de dores no corpo, fraqueza, enjoos e indisposição frequentes.


“Fiquei muito ruim. Os únicos sintomas que não tive foram falta de ar e febre. Passei quase 20 dias sem me alimentar. Só tomava suco. Fiquei muito fraca, mesmo. Achei que não ia suportar”, recordou Adriana.


O marido, que trabalhava no comércio da Ceasa local (terceira maior central de distribuição de alimentos do país), ficou impedido de se deslocar para não transmitir o vírus que seguia ativo na esposa. Isso gerou redução de renda e um período de desemprego. “Muita gente teve dificuldades e problemas de renda. Para nós não foi diferente”, disse Fábio.


A travessia tem sido menos dura, segundo eles, em função de iniciativas do Governo Federal, em especial do Ministério da Cidadania. A família recebeu primeiro o Auxílio Emergencial e depois foi incluída no Auxílio Brasil.


“Quando olhei no aplicativo e vi que tinha sido aprovada no Auxílio Emergencial, eu me prostrei e disse: ‘Ô Jesus, muito obrigada’”, contou Adriana, que também teve ajuda de vizinhos, familiares e amigos do ambiente da igreja que frequenta, com cestas de alimentos, legumes e frutas.


Adriana, Fábio e os filhos ainda viram, mais recentemente, um outro braço social do Governo Federal estendido. Diante do perfil no Cadastro Único, a família foi incluída na Tarifa Social de Energia Elétrica, o que significou uma redução significativa na conta de luz mensal. “Realmente baixou bastante. Ajuda muito aqui em nossa renda”, avaliou Adriana.

Acompanhe nosso mandato:Fique por dentro dos detalhes do nosso mandato, da nossa luta pela Bahia, e esteja sempre bem informado sobre as novidades do Congresso Nacional.