Novo auxílio emergencial pode ser pago já em março, diz ministro da Cidadania

João Roma quer votação da 'PEC da Regra de Ouro' logo no início dos trabalhos da Câmara

O novo auxílio emergencial pode começar a ser pago na segunda quinzena de março caso a Câmara dos Deputados aprove até a próxima semana a PEC Emergencial, que viabiliza a retomada do benefício. A projeção foi feita pelo ministro da Cidadania, João Roma, durante entrevista na noite desta quinta-feira (4) à BandNews TV. Ele ainda falou sobre o planejamento para pagamento do auxílio e afirmou que o Ministério projeta para julho o prazo para o novo Bolsa Família.

“Conseguindo aprovar até a próxima quarta, a equipe do ministério pretende que consigamos fazer os pagamentos ainda em março. Essa é a meta estabelecida pelo presidente Bolsonaro. Ele anunciou o auxílio emergencial no valor de R$ 250 por quatro meses. Pelo que conversei com o presidente da Câmara, Arthur Lira, o intuito é votar na próxima semana”, disse ele.

Segundo Roma, a operação complexa de pagamento do benefício ao longo do ano passado deu ao ministério um know-how e gerou um imenso banco de dados sobre os beneficiários. “Não é uma operação simples, é uma operação muito grande. São milhões de beneficiários do programa. Então ajustar tudo isso, fazer o cruzamento de dados, inclusive limpando do banco de dados alguns que não fazem jus ao recebimento”, pontuou.

“O cruzamento desses dados já gera um conforto maior na medida em que começamos a perceber justamente alguns públicos específicos que não devem receber o auxílio. O primeiro pagamento atingiu mais de 68 milhões de brasileiros e terminou com cerca de 55 milhões. E, com o cruzamento desses dados, devemos ter um universo de cerca de 46 milhões de brasileiros nesse novo auxílio. É um grande avanço, são muitas informações para que esse recurso público chegue diretamente àquele brasileiro que mais precisa. É um trabalho que o Ministério da Cidadania tem desenvolvido com muita atenção, cuidado e afinco”, complementou.

O ministro voltou a destacar que política social e política econômica são duas faces de uma mesma moeda. “Precisamos ter muita responsabilidade em todo esse caminho, tanto para cuidar desses brasileiros que mais precisam do apoio do governo como também para manter a estabilidade econômica, pois uma vez que tenhamos problema na área econômica, todos os brasileiros são afetados”.

Bolsa Família
João Roma revelou ainda que o Ministério trabalha para reformular e fortalecer o programa Bolsa Família. “O objetivo é que já em julho tenhamos um novo Bolsa Família, abrangendo de maneira mais fortalecida para que possamos dar auxílio a esses brasileiros em situação de mais vulnerabilidade”, enfatizou.

“Nós buscamos sim levar a assistência, o amparo do Estado àqueles que estão em situação de vulnerabilidade, de dificuldade. O foco é poder aplicar bem esses recursos públicos, chegando aos brasileiros mais necessitados. O foco do governo nesse momento é que o auxílio possa chegar aos brasileiros o quanto antes”, completou o ministro.

O foco dos estudos para reformular o programa é buscar a política social de forma mais abrangente para que o Estado consiga chegar, de múltiplas formas, aos brasileiros em situação maior dificuldades. “E dentro disso existem outras iniciativas, existem capacitações que pretendemos fazer para acesso ao emprego, reforço em programa de empreendedorismo, várias iniciativas que vamos buscar disponibilizar para a população”, pontuou.

Acompanhe nosso mandato:Fique por dentro dos detalhes do nosso mandato, da nossa luta pela Bahia, e esteja sempre bem informado sobre as novidades do Congresso Nacional.