“Precisamos melhorar nosso ambiente de negócios para atrair investimentos e gerar emprego e renda”, defende João Roma

“Precisamos melhorar nosso ambiente de negócios para atrair investimentos e gerar emprego e renda”, defende João Roma
Foto: Julio Dutra

O deputado federal João Roma (Republicanos/BA) acredita que as reformas em debate no Congresso Nacional são fundamentais para melhorar o ambiente de negócios no Brasil e, consequente, para fomentar a geração de emprego e renda. Para o parlamentar, além da reforma da Previdência, já aprovada, as mudanças no sistema tributário, a PEC da regra de ouro e a reforma administrativa são pontos essenciais para tornar favorável a geração de negócios, que vai promover a atração de investimentos e, em paralelo, ajudar a reduzir as taxas de desemprego.

Contudo, destaca Roma, o caminho ainda é longo. Segundo o relatório Doing Business divulgado na semana passada pelo Banco Mundial, o Brasil caiu no ranking mundial que indica os países onde o ambiente de negócios é melhor, saindo da 109ª para a 124ª posição. O levantamento foi feito entre junho de 2018 a maio de 2019.

“O Brasil deu um passo importante para mudar este cenário com a reforma da Previdência, mas ainda temos outras que são igualmente fundamentais para melhorarmos nosso ambiente de negócios. Isso vai proporcionar a geração de emprego e renda e, sem dúvidas, vai melhorar a vida das pessoas que mais precisam”, enfatiza Roma, que, na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados, foi relator da reforma tributária e, agora, é responsável pelo relatório da PEC da regra de ouro.

O atual cenário brasileiro, avalia Roma, afeta negativamente a produtividade no país e a competitividade externa das empresas nacionais. “Para o crescimento econômico, a qualidade do ambiente de negócios é um fator fundamental. A produtividade no país é baixa e as empresas têm muitos custos sem retorno. E a agenda de reformas é um ponto central para melhorar esse ambiente de negócios”, pontua.

Com as reformas, aliadas a medidas que reduzam a burocracia e incentivem a concorrência, o parlamentar acredita que o país se tornará atrativo, o que poderá gerar investimentos nos mais diversos setores.