João Roma participa de evento em homenagem ao dia do trabalhador em Cruz das Almas

A manhã desta quarta-feira (1), Roma esteve em Cruz das Almas participando do Café do Trabalhador, evento organizado pelo ex-prefeito Ednaldo Ribeiro, com quem fez campanha no município.

João Roma no Café da Manhã em Cruz das Almas
João Roma no Café da Manhã em Cruz das Almas

Para o deputado federal João Roma (PRB/BA), o feriado desta quarta-feira (1) foi marcado por uma agenda de trabalho no estado. Pela manhã, Roma esteve em Cruz das Almas participando do Café do Trabalhador, evento organizado pelo ex-prefeito Ednaldo Ribeiro, com quem fez campanha no município. Na oportunidade, estiveram presentes também o presidente da Câmara de Vereadores, Renan de Romualdo, além dos vereadores Edson Ribeiro e Elias de Gogó.

Questionado durante o evento sobre seu voto favorável ao encaminhamento da Reforma da Previdência na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), na Câmara, o deputado esclareceu que a CCJ analisa a constitucionalidade da matéria e que uma Comissão Especial foi instalada para dar continuidade ao trabalho e ponderar agora sobre o mérito da PEC. João Roma afirmou ainda que, junto com os demais partidos de centro, tem trabalhado para que haja garantia de direito ao Benefício de Prestação Continuada – BPC e ao trabalhador rural.

A respeito da necessidade da Nova Previdência, o republicano declarou: “A gente tem que parar de demagogia e entender que esta reforma é muito importante para o Brasil. Os governos anteriores fizeram Reforma da Previdência e qualquer presidente que assumisse teria que enfrentar este desafio de arrumar as contas e equilibrar o orçamento, para que a população que mais precisa não seja penalizada. O que a gente observa hoje, neste modelo de previdência que está aí, é o pedreiro pagando o salário do juiz e mais de 90% da nossa população recebendo até dois salários mínimos, enquanto tem gente recebendo 30, 40 mil reais por mês de aposentadoria. Então, o que a gente busca é encontrar um equilíbrio para que esta seja uma reforma justa e equânime, mas para isso é necessário coragem de encarar a mudança para que tenhamos garantia de futuro para as novas gerações, porque sem reforma não tem emprego, não tem perspectiva e não tem dinheiro para circular em nosso país”.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*