Maior programa de melhorias habitacionais do Brasil, criado pela Prefeitura de Salvador, já reformou mais de 23 mil casas

Transformar a realidade da cidade e melhorar a vida de quem mais precisa.

Com uma ampla cobertura, nesta semana, o programa atingiu a marca de 23.500 casas e 80 localidades contempladas na capital baiana.
Com uma ampla cobertura, nesta semana, o programa atingiu a marca de 23.500 casas e 80 localidades contempladas na capital baiana.

Esta tem sido a principal referência do trabalho dedicado, realizado pela Prefeitura, em Salvador. Um dos grandes destaques da gestão municipal é o programa Morar Melhor, que reforma casas de cidadãos com baixa renda, a fim de reduzir o déficit qualitativo das moradias mais carentes.

Com uma ampla cobertura, nesta semana, o programa atingiu a marca de 23.500 casas e 80 localidades contempladas na capital baiana. O deputado federal João Roma (PRB/BA), que acompanhou e participou da estruturação do Morar Melhor quando era chefe de gabinete do prefeito ACM Neto, destacou a importância da iniciativa e do trabalho da Prefeitura: “É graças a iniciativas como o Morar Melhor que o soteropolitano hoje pode andar com a cabeça erguida e viver com mais dignidade. O trabalho da Prefeitura resgatou a autoestima do soteropolitano e aproximou o poder público do cidadão, estimulando, sobretudo, a participação popular, a transparência na gestão e ampliando a cobertura dos serviços do município.”

Além do programa Morar Melhor, o deputado destacou outras iniciativas da gestão municipal, como é o caso do Ouvindo Nosso Bairro, maior programa de consulta popular da história da cidade e as Prefeituras-bairro que simplificam o acesso das pessoas aos serviços públicos.

As casas e os bairros contemplados pelo Morar Melhor são selecionados de acordo com alguns critérios sociais como a maior predominância de domicílios com alvenaria sem revestimento, maior número de pessoas abaixo da linha de pobreza, maior densidade habitacional e maior quantidade de mulheres chefes de famílias, todos estes pontos baseados em dados do IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

Por residência, são investidos até R$5 mil em intervenções como pintura, reboco e revestimento de parede, recuperação ou troca do telhado, troca de esquadrias e instalações sanitárias.

Em outubro de 2018, o programa Morar Melhor foi apresentado em Washington, capital dos Estados Unidos, no evento “Tools for Building Resilient Infrastructure Workshop”, que estimula o trabalho com instrumentos que construam uma infraestrutura resiliente nas cidades. O workshop é promovido pelo programa 100 Cidades Resilientes (100RC) da Fundação Rockefeller, com coparticipação da Arup, consultoria multinacional que conduz o programa na capital baiana.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*