Sessão Solene comemora 470 anos de Salvador e 70 anos do Afoxé Filhos de Gandhy

Evento acontece na Câmara dos Deputados em Brasília.

A Câmara dos Deputados realiza nesta quarta-feira (27), uma Sessão Solene em comemoração aos 470 anos da cidade de Salvador e aos 70 anos do Afoxé Filhos de Gandhy. A solenidade, proposta pelos deputados João Roma (PRB/BA) e Daniel Almeida (PCdoB/BA), homenageia a história de Salvador, primeira capital do Brasil que, sobretudo, nos últimos anos, tem se destacado pelo progresso no cenário nacional e a tradicionalidade do Afoxé Filhos de Gandhy, entidade que é mais que um dos maiores blocos do Brasil, é uma reverência à paz e ao respeito à ancestralidade.

Para o deputado João Roma (PRB/BA), a comemoração é uma justa homenagem às raízes culturais do povo brasileiro: “este é um importante reconhecimento. Salvador exerce grande relevância em nossa história, terra de um povo plural e tolerante, a primeira capital do Brasil, palco de fatos marcantes da memória de nosso país, e o afoxé Filhos de Gandhy faz parte da natureza desta essência, das manifestações que nos faz um povo diverso”, afirma.

O deputado Daniel Almeida (PCdoB/BA), destaca a importância da homenagem ao Afoxé: “Celebrar esses 70 anos de história, cultura e resistência dos Filhos de Gandhy é reconhecer o valor dessa instituição para o patrimônio cultural da Bahia e do Brasil. É uma oportunidade de emergir essa energia da cultura da paz e respeito à diversidade, principalmente neste atual momento em que verificamos tanta violência e intolerância”.

Salvador vive um momento especial, indicada pelo New York Times e pela BBC como um dos melhores destinos para se conhecer no mundo, a capital está em pleno verão da década e o cenário é animador, com recorde de ocupação hoteleira e a economia altamente movimentada. Celebrar seus 470 anos com honraria é uma justa e digna homenagem.

Fundado em 1949 por Estivadores do Porto de Salvador, o Afoxé Filhos de Gandhy desfilou pela primeira no carnaval de Salvador cantando marchinhas até se dedicar a embalar milhares de foliões no ritmo ijexá. O conhecido ‘tapete branco’ reúne cerca de 10 mil associados que utilizam fantasia composta por um lençol de 2,20m X 2,00m, pintura com o tema do carnaval, turbante feito de toalha de banho com uma pedra azul, que faz referência aos marajás indianos. A agremiação é reconhecida pela distribuição de colares das cores azul e branco, reverência aos orixás Oxalá e Ogum e também o uso do perfume alfazema, formas de pregar a paz durante a folia.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*