Em entrevista, João Roma defende reforma tributária, critica ViaBahia e propõe ‘alinhamento estratégico’ de emendas da bancada da Bahia

Foto: Divulgação Grupo Metrópole

O deputado federal João Roma (Republicanos/BA) afirmou na noite desta segunda-feira (13), durante entrevista ao Jornal da Cidade – segunda edição, da Rádio Metrópole, que a reforma tributária, relatada por ele na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) da Câmara, pode gerar um acréscimo de 10% na economia brasileira em dez anos apenas por conta da simplificação da cobrança de impostos. Na entrevista, Roma ainda voltou a criticar os serviços prestados pela concessionária ViaBahia nas BRs 116 e 324 e defendeu um alinhamento estratégico para a aplicação das emendas da bancada da Bahia.

“Tenho dito que o brasileiro não aguenta mais o peso do estado nos seus ombros. Precisamos, até para atrair novos investimentos, de uma estrutura mais simplificada. O Brasil está entre os piores países do mundo em eficácia de arrecadação. Essa simplificação, apenas, pode gerar um acréscimo de 10% na economia brasileira em dez anos. Hoje em dia é tão complexa a estrutura de arrecadação do estado que existe um passivo no Judiciário de cerca R$ 2 trilhões. É muito dinheiro perdido com meandros burocráticos, com uma infinidade de portarias. Até aquele que quer estar em dia não consegue com essa burocracia brasileira”, afirmou.

Sobre os serviços da ViaBahia, ele disse que foi ao ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, levar os problemas. “A ViaBahia tem tratado com grande desrespeito o usuário. Quem perde é a população que utiliza e paga por esse serviço. Temos uma péssima estrada, com problemas de segurança gravíssimos. Temos situações de acostamento que não é feito, investimentos parados, iluminação ruim. Prometeram, ainda quando eu estava na prefeitura, diversas vezes as intervenções, como eixos com os bairros de Salvador, e essas promessas foram descumpridas”, criticou.

Já em relação às emendas, Roma ressaltou a necessidade de direcionar recursos para áreas mais estratégicas da Bahia. “Acho que nesses casos temos que pegar bandeiras que realmente fazem a diferença na vida do cidadão brasileiro. Temos os exemplos do Rodoanel de Feira de Santana, que vem se arrastando, e do problema do sistema de abastecimento de Vitória da Conquista. Só os recursos das emendas de bancada dariam quase a soma de R$ 1 bilhão em quatro anos. Se houvesse um sentimento mais estratégico disso, como ocorria no passado, nós poderíamos solucionar temas importantes da Bahia”, enfatizou.

O parlamentar também comentou sobre os trabalhos da comissão especial que vai analisar o marco legal das startups na Câmara. “É uma matéria muito importante, porque a vida real anda a passos largos em relação à administração. Esse é o caso das startups, que começam a trazer novas formas de gerar solução, de gerar renda, empreendimentos, soluções para a vida cotidiana. E muitas vezes não há um regramento para a utilização desse novo modelo de empresa”, pontuou Roma, que é presidente da comissão.