João Roma critica Via Bahia por atrasos das obras nas BRs 116 e 324 e questiona contratos de concessão

O tema foi pauta de um encontro entre o deputado baiano e o Ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas

Foto: Julio Dutra

O deputado federal João Roma (Republicanos/BA) fez duras críticas à concessionária ViaBahia, responsável pela administração das rodovias BR-324 e BR-116 no estado. Ao questionar os contratos de concessão das estradas, Roma afirmou que diversas obras que deveriam ser realizadas nas BRs estão atrasadas há mais de cinco anos e criticou a falta de manutenção nas pistas, que tem causado acidentes e colocado em risco a vida de quem trafega pelas rodovias. O tema, inclusive, foi pauta de um encontro entre o deputado baiano e o Ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, nesta quarta-feira (20).

E o que já é ruim, diz Roma, parece só piorar. O deputado pontua que, nos últimos meses, as queixas dos usuários das rodovias se intensificaram, inclusive com diversas notícias divulgadas em meios de comunicação. “A situação é completamente absurda. A concessionária cobra pedágio, mas não cumpre o contrato de concessão ao não realizar as obras recuperação, manutenção, conservação e ampliação da capacidade das rodovias, previstas no acordo. O descaso já se arrasta há anos, sem que nada seja feito”, disse Roma.

O deputado afirma, ainda, que o péssimo estado do asfalto das rodovias acaba provocando acidentes. Em um determinado trecho da BR-324, por exemplo, é comum a ocorrência de acidentes por conta de declives entre a pista e o canteiro central da rodovia. Outro problema são os buracos ao longo da rodovia, alguns deles verdadeiras crateras. Na BR-116, a situação não é muito diferente. Além do risco para a vida de quem trafega por elas, há ainda o prejuízo por conta dos danos aos veículos provocados pela má conservação das pistas.

Vale lembrar que, no ano passado, a ViaBahia foi condenada pela Justiça Federal a pagar multa de R$ 5 milhões por danos morais coletivos, devido ao atraso nas obras de duplicação de trechos da rodovia. “É inadmissível que os baianos continuem pagando pedágio à concessionária sem que o devido retorno seja dado. Quando o governo concede a administração de uma rodovia à iniciativa privada, o que se espera é que a estrada tenha boas condições de trafegabilidade e segurança, e isso hoje nós não estamos vendo nas BRs 116 e 324. O contrato de concessão vem sendo descumprido reiteradamente”, critica.

Roma ainda lembra dos frequentes congestionamentos, na maioria das vezes provocados pela falta de estrutura das praças de pedágio das rodovias. “Isso fica pior em períodos de festa e feriados, especialmente na BR-324. O aumento de fluxo não é novidade e, mesmo assim, os congestionamentos continuam como se o grande volume de carros fosse surpresa. A concessionária tem feito os baianos de trouxas”, afirmou o deputado.